Asteroide de 45 metros passará a 27 mil quilômetros da Terra amanhã à tarde

Asteroide de 45 metros passará a 27 mil quilômetros da Terra amanhã à tarde

O asteroide 2012 DA14 é um pequeno corpo rochoso catalogado como um "objeto próximo à Terra"
O asteroide 2012 DA14 é um pequeno corpo rochoso catalogado como um “objeto próximo à Terra” (Imagem Ilustração)

Astrônomos de todo o mundo estarão atentos amanhã (15) à passagem do 2012 DA14, que às 17h30 se tornará o primeiro asteroide de 45 metros de comprimento a ser observado a apenas 27,7 mil quilômetros da crosta terrestre. Isso equivale a menos de um décimo dos 384 mil quilômetros que separam a Terra da Lua. A distância mínima será atingida quando o corpo celeste, de 130 mil toneladas, estiver na direção do Oceano Índico, perto da Ilha de Sumatra, na Indonésia, e será possível vê-lo com ajuda de instrumentos em partes da Ásia, Oceania, Europa e África.

“É a primeira vez que a gente sabe que um objeto desse vai passar tão perto da Terra. E, como ele tem um período que é conhecido, isso gera uma oportunidade, por exemplo, para, no futuro, um projeto de mandar uma sonda até lá, para examinar mais de perto esse objeto. Como ele está passando muito perto, ele pode ser estudado com mais precisão” destaca o astrônomo Eugênio Reis, do Museu de Astronomia e Ciências Afins, que descarta o risco de colisão.

O 2012 DA14 foi descoberto no ano passado por astrônomos do Observatório de Mallorca, na Espanha.
O 2012 DA14 foi descoberto no ano passado por astrônomos do Observatório de Mallorca, na Espanha. (Imagem – NASA)

Os últimos cálculos indicam que asteroide 2012 DA14 tem cerca de 45 metros de diâmetro, com uma massa de aproximadamente 130.000 toneladas. No dia 15 de fevereiro de 2013, o asteroide vai passar muitíssimo perto do nosso planeta.

Por passar tão perto da Terra, no entanto, o 2012 DA14 entrará no Anel Geoestacionário, área em que orbitam os satélites e a Estação Espacial Internacional, que também não devem ser atingidos pelo asteroide. De acordo com Eugênio Reis, a passagem não causará interferência nos meios de comunicação, pois o corpo celeste é uma rocha pequena que não emite qualquer tipo de radiação. Entretanto, as gravidades da Terra e da Lua mudarão a órbita do asteroide, que reduzirá sua translação (órbita em torno do Sol) de aproximadamente 366 dias para menos de 320, o que deixará os encontros com o planeta mais raros.

A passagem da rocha pelo planeta permitirá aos astrônomos recalcular a sua órbita, e saber o quão perto ele se aproximará de nós nos próximos anos. Quando um asteroide se aproxima de um objeto massivo, como a Terra ou outros planetas, sua órbita pode ser muito alterada pelo efeito gravitacional do maior corpo.

O pico de aproximação do asteroide poderá ser visto com binóculos e telescópios amadores na Ásia, Austrália e Europa, onde a hora local será noturna.

Fonte: Agência Brasil / NASA /Astrônomos Brasil

709 total views, 1 views today

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *